• Alessandra Girotto

Como evitar adiar e passar a enfrentar

O último scritp que a Márcia Millman traz no livro "As 7 Histórias de Amor" é o que mais mexeu comigo. Até agora nós passamos pelo Primeiro Amor, Pigmaleão, Amor Obsessivo, Mulher Inferior e Homem Superior, Sacrifício e Resgate.


Nesse o tema é Coragem: superando o adiamento e a evitação - e sabe porque ele é desafiador pra mim? Pois se tem uma coisa que luto para desenvolver e transformar é isso. E, sendo uma coisa tão crucial na minha vida, ela obviamente também aparece nas relações.

Logo no começo ela traz um trecho que queria deixar aqui pra reflexão:

"Enquanto se sentirem confortáveis vivendo com as defesas que construíram, não terão nenhuma motivação para mudar e viverão eternamente como sempre viveram. Somente aqueles que se arriscarem para amar, com todos os perigos que isso acarreta, realmente ganham vida e uma espécie de imortalidade" (Márcia Millman)


Não sei vocês, mas MUITAS vezes a gente acredita estar aberto para amar e não está. Foram muitas as vezes que tentei me abrir e dar o passo para, logo em seguida, me descobrir fechada. Em cada tentativa eu consegui ir um pouco mais longe, abrir e sustentar um pouco mais. E isso é maravilhoso!


Me vejo crescer e expandir nesse lugar.


Mas o passo final e derradeiro? Não, esse ainda não veio (mesmo achando que já tinha dado algumas vezes). E isso dói. Dói em mim e dói no outro. Dá vontade de não tentar mais e me isolar, voltar pra minha concha de novo. Movimento que faço momentaneamente para me permitir cuidar da ferida e me nutrir, mas de onde me obrigo a sair para redescobrir o mundo e aprender a amar um pouco mais.


O tema de hoje nos convida a olhar profundamente pra nossa evitação. Onde estou deixando a vida escapar diante dos meus olhos. Em que aspectos não quero viver e tenho jogado a culpa no outro, no destino, na vida. Onde o medo tem me paralisado e porquê.


É também um convite para você arriscar, dar a cara a tapa e viver. Descobrir. Aceitar a si mesmo com TUDO o que você tem pra dar e ampliar seu olhar pra vida e pro outro.

É incluir o mantra "EU ESCOLHO VIVER" na vida, diariamente.

Esse foi um exercício que fiz por um bom tempo na minha vida e estou retomando agora: EU ESCOLHO VIVER. Eu escolho viver a minha vida. Eu Escolho ESTAR na vida.

E você?


REFLEXÕES: 1) Num relacionamento você tende a focar nos defeitos do seu companheiro? Já pensou que essa fixação pode ser uma projeção dos seus próprios defeitos e sentimentos de inadequação? De 0 a 10, quanto você foca nos dele e quanto aceita os seus? 2) Nos relacionamentos que viveu até hoje, como era o padrão? Você sempre se envolvia com pessoas que não estavam disponíveis, que moram longe ou que nunca assumiriam compromisso com você? 3) Você tem coragem de confirmar a seriedade dos sentimentos e intenções do seu parceiro com relação à você? Faz as perguntas que te darão respostas quando se sente insegura? 4) Já foi magoada, traída ou rejeitada nas suas relações anteriores? Isso te fechou? 5) Você tende a adiar tomar decisões e assumir um compromisso - ou se envolveu com alguém que age assim - porque não estava pronto para uma relação? Se sim, consegue perceber se tem medo de ver o tempo passando? 6) O que você quer da vida? Quanto tempo acredita que terá para conseguir isso? Percebe se está desperdiçando tempo e deixando escapar sua chance de ter e viver essas experiências?

🦋 𝑨𝒍𝒆𝒔𝒔𝒂𝒏𝒅𝒓𝒂 𝑮𝒊𝒓𝒐𝒕𝒕𝒐 – Sou mãe, psicanalista e consteladora. Trabalho conjuntamente com várias terapias complementares e atualmente participo do Programa Pathwork® de Transformação Pessoal.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo