• Alessandra Girotto

Pra que serve a utopia

Atualizado: 19 de Dez de 2020

Na semana passada a questão da utopia esteve presente em várias sessões.

Sempre quando isso acontece eu fico me perguntando: o que tem por trás desse padrão aqui? O que mais é preciso?

Uma das coisas que comecei a fazer ao identificar é trazer aqui: se é algo recorrente nas pessoas que acompanho deve ser algo que outros mais estejam passando.

Mas você deve estar se perguntando: todos trouxeram o tema da utopia pra discutir com você? Como assim?

E minha resposta é: não, não foi assim. Os temas discutidos foram perfeccionismo, desesperança e, principalmente, sobre direito de sonhar e desejar.

E onde entra a utopia aqui? Em tudo isso. Depende da maneira como olho para cada uma delas.

O perfeccionismo, por exemplo, pode ser algo que me amordaça, enrijece e quebra.

Mas se o vejo como um horizonte para o qual eu caminho. Como um modelo "áureo" diante do qual me espelho e moldo sem ansiedade, sem negar onde estou agora e quais ferramentas eu tenho. Sem exigir que eu seja diferente do que sou agora e sem me rejeitar...

Se eu olhar para ele e o ver apenas como o lugar para onde eu me movo, como um "norte" para o qual me dirijo.

Se eu puder lidar com o perfeccionismo dessa forma, sem pressão, ele serve para me fazer caminhar. Para me mostrar que sim, tudo pode ser mais belo, melhor, mais leve e justo.

Ele me dá o tom do que quero buscar.

O que tira nossa paz não é a Utopia, o sonho, a busca pela perfeição ou a esperança. É a necessidade de que sem a manifestação disso tudo AGORA não serei feliz, não serei aceita, amada, digna ou capaz...

E isso, minha gente, isso é uma tremenda ilusão. Espero que isso te ajude a caminhar.

“A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.”

– Fernando Birri, citado por Eduardo Galeano

🦋 𝑨𝒍𝒆𝒔𝒔𝒂𝒏𝒅𝒓𝒂 𝑮𝒊𝒓𝒐𝒕𝒕𝒐 – Sou mãe, psicanalista e consteladora. Trabalho conjuntamente com várias terapias complementares e atualmente participo do Programa Pathwork® de Transformação Pessoal.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo